DEPOIMENTOS 2020

sobre políticas públicas 

“Ao participar da pesquisa realizada com egressos dos Serviços de Acolhimento, eu não imaginava que mesmo depois de três anos trabalhando em acolhimento institucional, iria me deparar com uma experiência como essa que foi a de perceber o acolhimento a partir do olhar do jovem que viveu essa realidade...”

Foram 30 dias transcrevendo aquelas histórias de vida, foram dias que valeram por anos de experiência. 30 dias transbordando de emoção e agradecendo a Deus a oportunidade de estar me confiando aquela tarefa de tanta responsabilidade que era ouvir aqueles relatos e que transformou minha vida profissional. Quando a pesquisadora Luciana apresentou os resultados, pude observar a dimensão daquela pesquisa e constatar o quanto foi relevante para o futuro da metodologia do trabalho em acolhimento, principalmente  por fazer uma avaliação a partir do olhar do público atendido. O que vivi e aprendi nesta pesquisa não há como descrever.”

Viviane Assistente Social

políticas públicas

Agradecimento publicado na página do Movimento Nacional Pró Convivência Familiar e Comunitária no dia 27 de abril

O Movimento Nacional Pró Convivência Familiar e Comunitária, na pessoa do Secretário Patrick Reason, recebeu um agradecimento especial da Secretaria Nacional de Assistência Social (SNAS), por sua valiosa colaboração na construção da Nota Técnica nº 11/2020. O documento foi publicado na ultima quarta feira, com orientações ao SUAS sobre cuidados a crianças e adolescentes em serviços de acolhimento no contexto de emergência em saúde pública decorrente do novo Coronavírus. http://www.in.gov.br/.../portaria-n-59-de-22-de-abril-de...

"A equipe da SNAS agradece todas as valiosas contribuições que recebemos, e experiências de várias localidades que tomamos conhecimento, que muito contribuíram para a elaboração deste material. Registramos aqui, um agradecimento especial ao Movimento Nacional Pró-Convivência Familiar e Comunitária, na pessoa do Secretário Patrick Reason, que a todo tempo tem compartilhado reflexões importantes que muito contribuíram nas discussões que embasaram essa Nota Técnica, assim como o NECA pelo envio de material que também enriqueceu as discussões e o aprimoramento do documento. Muito obrigada, a cada um que dos seus mais diferentes lugares têm contribuído para a proteção das crianças e adolescentes nesse contexto tão desafiador."

O MNPCFC reconhece a importância em colaborar de forma ativa na construção de documentos que norteiam e orientam toda a sociedade acerca da proteção às crianças e adolescentes neste momento de emergência

sobre a pesquisa com egressos

As palavras da Coordenadora Luciana Cassarino Perez sobre a relevância da ECD, na pessoa do Patrick  na Escuta dos Egressos .:

“... a verdade é que  se não fosse a articulação do Patrick essa escuta não teria saído...”

“...Ele fez esse elo entre a Secretaria Nacional por um lado , Movimento pró Convivência Familiar e Comunitária e todos os envolvidos na avaliação do plano, e eu como pesquisadora. Então para mim foi um presente essa articulação eu ele fe, acho que o Patrick é um grande articulador e eu não poderia ter contribuído para a pesquisa se não fosse essa atuação dele, assim como acredito que a  avaliação do plano não tivesse tido esse enriquecimento com a participação dos jovens  se não fosse essa busca ativa que o Patrick fez de pessoas que tivessem expertise no assunto e que pudessem prontamente atender essa demanda...

... Então foi essencial essa participação dele e depois ainda foi  inciativa dele a transformação desse estudo num ebook, num material muito didático e acessível à população em geral, então foi uma excelente forma da gente devolver os resultados para os próprios jovens que participaram numa linguagem muito próxima do que eles tão acostumados nas redes sociais , na mídia, e tudo mais, então sai daquela coisa de relatório formal e de pesquisa  e vem para a sociedade em geral assim, isso foi uma ideia dele, uma iniciativa dele essa coisa da construção de um material resumido e com uma linguagem muito acessível e que inclusive agora foi traduzido para o inglês, então ele continua fazendo essas articulações e enviando esse material para grupos que ele tem contato fora do país, Então são inúmeros os braços que ele estendeu como articulador pra fazer esse trabalho não só acontecer como render muitos frutos ... Eu sou extremamente agradecida a ele, não só por ter tido a oportunidade de participar desse projeto, mas porque ele está  realmente dando muita visibilidade pra esse tema que me é  um tema muito caro já há bastante tempo desde que eu comecei a me debruçar sobre ele no início do meu doutorado.”

“...

SOBRE CENTRO COMUNITÁRIO CAJURU 

“... Nosso trabalho é servir e cumprindo a nossa vocação queremos relatar nossa trajetória que envolve a Comunidade Cajuru no local onde o servir precisa ser uma atitude de Amor.

No dia 02/04/2020 iniciamos o projeto “Ação na Quarentena” onde a comunidade Cajuru precisava ser atendida no anseio de combater os danos sociais causados pela Pandemia do COVID 19, sabíamos que essa situação terrível  iria intensificar os problemas que as famílias da comunidade já vivenciavam, e nosso principal objetivo era diminuir os danos da melhor forma possível. Criamos uma corrente do bem com vários apoiadores para desenvolver uma estrutura viável de captação, armazenamento e distribuição de maneira inteligente e atendendo os critérios de emergência e necessidade evidenciados pelos nossos conhecimentos prévio do Bairro,  tínhamos informações que grande parte das famílias do entorno são comandadas por Mães e suas principais fontes de renda estava concentrada no trabalho de “diarista” nas casas de outras famílias. O contraste social do Bairro é terrível  e a Comunidade escondida em um bolsão fica quase invisível aos olhos distraídos, infelizmente essa realidade onde o que os “olhos não enxergam o coração não sente”, nessa condição as “Mães de Favela”, que cumprem dupla jornada de trabalho tentam desesperadamente encontrar maneiras de sobreviver e nesse estado  não entendem a manutenção desse ciclo  acontece  á  impossibilidade de presença efetiva no desenvolvimento integral seus próprios filhos, que são os Filhos  da Comunidade, essa ausência dos vínculos maternais enfrentada por nessas crianças , onde a percepção da segurança emocional está ligada na capacidade individual e não nos vínculos familiares pois a ausência se torna um problema crônico. O resultado dessa situação gera nas crianças o senso de ser “forte” na comunidade, e isso se aprende cedo, sabemos que essa “força” esconde um profundo dano na capacidade de socialização integral, pois é praticamente impossível  para essas Mães oferecer esse resgate, pois o cansaço e a alta carga de trabalho exauriu toda as suas forças,(Relatos das próprias Mães). Com o isolamento social praticamente todas essas mulheres perderam sua principal fonte de renda, porém ganharam também a possibilidade de estarem mais próximos aos Filhos e essa situação poderia ser uma oportunidade de transformação, o medo de não conseguir manter o mínimo não poderia ser empecilho naquele momento, e não poderíamos ser omissos em responder essa grande demanda. Observamos também que a renda em geral das outras famílias iria diminuir, seja para o profissional liberal ou dos muitos imigrantes Venezuelanos, Haitianos e aqueles que estavam à margem dos benefícios de renda emergencial do nosso Governo, todo esse universo de pessoas juntas com suas famílias estavam em eminente estado de falta grave de alimentos e produtos de higiene e limpeza para enfrentar o desafio da pandemia.  Sendo assim a Associação Beneficente Encontro com Deus junto com a Igreja Encontro com Deus  abraçaram a causa do local onde estamos e com plano de atuação focado nessas situações relatadas decidimos agir, nosso foco com as informações que tínhamos do Bairro e da Moradas Cajuru e tudo que envolve essa realidade conforme mencionamos anteriormente e também com o cadastro de 82 famílias que estão no projeto CCC (Centro Comunitário Cajuru), onde os filhos dessas famílias participam no contra turno escolar em Oficinas de Sapateado, Robótica e outras rotinas de aprendizagem sociais e educacionais fundamentais para o desenvolvimento dessas crianças e adolescentes envolvidos.  A responsabilidade imensa, pois a restrição que o isolamento social  causou nessas famílias que estão em estado de vulnerabilidade social, perdendo os vínculos que a rotina de segurança das escolas públicas e o projeto na nossa Associação devido a pandemia e o afastamento social, sem dúvida precisávamos estar perto, ajudando quem mais precisa no momento mais difícil.”

Diogo Caetano sobre as atividades desenvolvidas no CCC durante a pandemia .

SOBRE ACOLHIMENTO CONJUNTO

 

Não tem como falar de 2020 sem falar em resiliência. A “arte de lidar com momentos de pressão, sem perder a sua essência, conseguindo controlar as suas emoções”.

 

Ao longo dos meses de 2020, aprendemos e vivenciamos o significado de ser resiliente. Tropeçamos, erramos, pecamos pelo excesso. Choramos, gritamos, mas jamais desistimos. A pandemia nos trouxe desafios, medos, incertezas. Mas tínhamos uma missão e foi por ela que nos mantivemos em pé. 

 

Aceitamos o desafio de ressignificar o “acolher”, o desafio de amar sem o toque e de abraçar com os olhos.  Ao longo de tantos meses, cada dia, um dia de aprender, de entender e compreender o outro. De olharmos para dentro de nós mesmos buscando em cada um de nós a motivação para ficar. Ficar e servir. Mesmo com medo, mesmo deixando nossas famílias, de certa forma os colocando em risco. 

 

Algumas de nós deixou seus lares por dias seguidos e até semanas, mantendo-se isoladas com as famílias acolhidas. Sendo resilientes. Demonstrando o amor para qual foram verdadeiramente chamadas. Sem olhar a quem, entregaram e se entregaram. Educadoras, sim, elas de novo, ensinando ao mundo o que significa servir. O que é ser resiliente! Provaram ao longo do interminável 2020 que não sabíamos nada sobre acolher, sobre doação, sobre abdicação... elas foram símbolo, o mais doce significado de amor. 

 

E quando parecia que parariam por ali, eis que vem a grata surpresa! Elas continuaram, ainda mais fortes e preocupadas. O que já parecia bom, ficou ainda mais instigante... O saldo de 2020 foi amor, amor e amor! Pois foi a partir deste amor que conseguimos. Elas conseguiram! Elas nos colocaram no topo, marcaram a história da EcD, provando que sabem do fundo de suas almas o que significa servir! 

E eu ? Eu fui expectadora, chorei e vibrei junto, mas nunca tive dúvidas do quão especial elas são. Se me perguntarem o que eu aprendi... direi sem titubear, aprendi que ser educadora é ser enviada por Deus para amar até aqueles que nós, pobres mortais não saberíamos.